na imagem um homem mecanico aparece em frente a um veiculo com capo levantado para representar se consertar o carro vale a pena

Pequenos defeitos: consertar o carro antes de vendê-lo vale a pena?

Descubra, neste conteúdo, até que ponto você poderá se beneficiar ao consertar o carro antes de fechar negócio com um possível comprador

Você está pronto para trocar o seu usado e, inclusive, já encontrou o substituto perfeito. No entanto, vem percebendo que existem alguns pequenos defeitos que poderiam dar uma melhor aparência – e valorizá-lo mais – antes da venda ou de utilizá-lo na contrapartida.

Mas será mesmo que é válido preocupar-se com esses detalhes?

Percebendo que esta é uma questão presente na vida de muitos clientes, a Geração Seminovos trouxe algumas dicas que podem sanar as suas dúvidas e atrair excelentes negócios. Veja!

5 perguntas que você precisa responder antes de anunciar a venda do seu carro

Prepare-se, abra a sua mente e seja sincero consigo mesmo. Para garantir bons retornos com o seu bem, responda estas 5 questões-chave:

Pequenos amassados e arranhões estão visíveis?

Por mais que eles não atrapalhem em nada no funcionamento do veículo, os danos estéticos causam uma péssima impressão. Afinal de contas, se o proprietário não cuida do que está visível, imagina o tratamento que dispensa àquilo que não vê?

Então, é sempre recomendado consertar o carro através de uma pinturinha, já que arranhões dificultam a venda. E se por acaso os amassados forem passíveis de conserto (deixando-os imperceptíveis), não pergunte duas vezes: apenas faça!

Porém, uma observação:

Cuidado com os reparos “meia-boca”. Se o problema for mínimo e pouco notável, optar por não mexer é a melhor saída, já que o fato de existir o conserto pode dar margem à interpretação de que o dano foi maior. 

Como anda a situação interna do veículo?

Os desgastes ocorrem naturalmente com o tempo, especialmente se o carro tiver uma certa idade. Mas o proprietário zeloso cuida e repara. 

Bancos, volante, manopla do câmbio, tapetes, estruturas em plástico são alvos diretos de análise do comprador, e também podem definir um bom negócio. Portanto, cuide para que fiquem conservados, não utilize produtos inapropriados para veículos (os químicos podem ser grandes vilões e causarem aquela mancha indesejada)  e deixe tudo sempre muito limpo.

As ferramentas e acessórios estão em bom estado?

Todo motorista experiente sabe dos “perrengues” que pode enfrentar na estrada. E ter aquele kit de ferramentas básico e obrigatório em bom estado também causará uma boa impressão a um potencial comprador. 

Parece um detalhe mínimo, mas ter macaco hidráulico, chave de roda e triângulo com aspectos de bem cuidados faz a diferença.

E NUNCA DEIXE DE OLHAR PARA O STEP!

Calibre-o sempre e, para o momento da venda, certifique-se de sua limpeza.

É NECESSÁRIO TROCAR O JOGO DE PNEUS?

Apenas se estiverem muito desgastados

Tem algum vazamento?

De forma nenhuma entregue seu veículo ao comprador com algum tipo de vazamento. Além de acabar com sua reputação, a falta de empatia pode lhe trazer inúmeros outros prejuízos. Consumidor tem direitos, e não importa se a venda for particular.

Faça uma revisão para consertar o carro e peça que essas pequenas, mas importantes imperfeições, sejam eliminadas.

Como vai o estado geral da pintura?

A pintura desbotada, ressecada e fosca demais denuncia maus cuidados, e que você não protegeu seu veículo devidamente.

Então, se a aparência estiver muito precária, é mais do que recomendado consertar o carro junto a um especialista.

Saiba falar sobre cada uma de suas revisões 

Mantenha um controle sobre todas as últimas revisões realizadas no carro.

Fale sobre as trocas de filtros, óleos, correias, velas, molas, pastilhas de freio, amortecedores e dos últimos alinhamentos e balanceamentos.

É importante para o próximo dono entender como o carro funciona, saber no que eventualmente precisará mexer em um futuro próximo e como foi feita a conservação de maneira geral. Entregar segurança antes de fechar negócio também valoriza o passe.

_

Conclusão

Você viu até aqui que a aparência conta muitos pontos, mas proceda com bom senso. Há reparos que realmente irão valorizar seu veículo, mas outros não farão a diferença e possivelmente significarão perda de dinheiro.

Especialistas recomendam que você não gaste em reparos pré-venda mais que 10% do valor venal.

Sabe onde você pode consultar experts no assunto e vender ou trocar o seu usado? Aqui na Geração Seminovos, marca de tradição e idoneidade em Santa Catarina, garantimos avaliação de qualidade e retorno justo. Agende seu atendimento!