transferencia-de-veiculos-geracao-seminovos

Transferência de Veículo simplificada e sem dores de cabeça. Informe-se aqui!

Você não tem como fugir dos processos de transferência de veículo, caso não seja o primeiro dono do seu automóvel ou se necessita vendê-lo. Do mesmo modo, se você está morando em outro endereço e o veículo fez parte da mudança, isso também precisa estar registrado junto ao Detran do seu Estado.

 

Pensando em sanar todas as possíveis dúvidas que você venha a ter sobre o assunto, a Geração Seminovos preparou um post repleto de informações super atualizadas. Não deixe de conferir e interaja conosco.

 

Boa Leitura!

Propriedade e localidade: entenda a diferença entre os tipos de transferência

Como o próprio nome já diz, transferir localidade significa avisar o Detran quando o domicílio do proprietário do veículo não é mais o mesmo do cadastro. Em outras palavras, não importa se a mudança foi dentro da própria cidade ou para qualquer outro lugar – no Estado ou no País -, você precisa atentar-se à legislação.

Já quando falamos em transferência de veículo quanto à propriedade, estamos nos referindo à troca de dono. Para esse caso, a cautela deve ser redobrada. O que queremos dizer é que todo cuidado é pouco contra pessoas mal-intencionadas.

O que você precisa saber de cara é que, em ambos os casos, o Certificado de Registro do Veículo irá mudar.  A diferença está no tempo que o processo levará para cada um dos contextos. Vamos nos aprofundar um pouco mais!? Vem com a Geração Seminovos.

Comunicado de venda: o que é?

O Detran de cada Estado disponibiliza aos cidadãos este recurso. Isso quer dizer que o antigo proprietário pode resguardar-se de multas e outros débitos adquiridos pelo comprador, caso o mesmo não complete a transferência do veículo.

Transferência de veículo: documentos necessários

Considerando as duas situações que já mencionamos, agora é hora de falarmos de burocracia. Existe uma série de documentos que você precisa entregar para não ter problemas com os órgãos de trânsito e com a legislação. Não deixe de conferir:

TRANSFERÊNCIA DE PROPRIEDADE

Abaixo, a Geração Seminovos lista o que você precisa ter em mãos para dar entrada na transferência de veículo. Munido dessas informações, dificilmente você passará por algum estresse.

  • Certificado de Registro do Veículo (CRV) - também conhecido como DUT - assinado pelo vendedor e com firma reconhecida em cartório;

  • RG ou CNH (originais e cópias simples);

  • CPF ou CNPJ (originais e cópias simples);

  • Comprovante de residência atualizado;

  • Laudo de vistoria realizada no Detran da região ou empresa credenciada;

  • Comprovantes de pagamento de taxas referentes à transferência.

EXTRA, EXTRA, EXTRA

Apenas deixamos o alerta de que pode haver variação de Estado para Estado, quanto à necessidade de alguns documentos. Neste caso, nossa dica é que você consulte o site do Detran da região na qual você mora e elimine todas as incertezas.

TRANSFERÊNCIA DE LOCALIDADE

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, o proprietário do veículo terá um prazo de 30 dias para comunicar o novo endereço. Feito isso, deverá aguardar o novo licenciamento para alterar o Certificado de Licenciamento Anual (CRLV). Ou seja, a atualização do CRV ocorrerá apenas no próximo licenciamento do veículo, diferente do primeiro caso no qual a mudança é imediata.

Veja o que você precisa! Lembrando que um dado ou outro pode mudar, dependendo da localidade onde você se encontra:

  • Laudo de vistoria realizada no Detran da região ou empresa credenciada;

  • Certificado de Registro de Veículo (CRV) original, sem alteração de propriedade, o CRV deve ser apresentado em branco;

  • Documento de identificação pessoal (RG/CPF/CNH);

  • Comprovante da nova residência.

FIQUE ALERTA!

Não transferir o veículo implica em infração grave e pagamento de multa.

Transferência de veículo: quanto custa?

A gente entende que você não gosta muito dessa resposta, mas é inevitável: depende. É que os valores cobrados têm algumas variáveis a serem observadas. A primeira delas é relativa ao Estado. Sim, as taxas não são padronizadas para o País inteiro. 

Além disso, ano e tipo do veículo também fazem a diferença no somatório. E se o veículo está licenciado ou não é outra característica que torna os custos mais altos ou mais baixos.

Em Santa Catarina, por exemplo, apenas a taxa de transferência de veículo atualmente custa R$ 146,65.

Transferência de veículo financiado

A verdade é que o financiamento do antigo proprietário não será assumido pelo novo. Para adquirir um veículo que ainda está em dívida com o banco, o correto é procurar a instituição financeira na qual o empréstimo foi realizado, encerrá-lo, efetuar uma análise de crédito e, se aprovado, formalizar tudo novamente do zero. 

Obviamente, todas essas informações são válidas apenas se o comprador não quiser pagar à vista.

Para o caso do veículo ser transferido ainda em dívida, no CRV deverá constar a informação de que o veículo está alienado.

Não ignore esta informação

Caso o procedimento acima não seja efetuado, a atitude implicará em riscos para o proprietário anterior. Por exemplo, se não houver pagamento das parcelas ou do seguro obrigatório, é o antigo dono quem arcará com as consequências. Isso só ocorrerá porque o seu nome ainda está ligado ao veículo. 

Tome cuidado com o calote!

Pronto, agora você já pode dar aula sobre transferência de veículo. Seja prudente, guarde todos os comprovantes e certifique-se de seguir todas as orientações à risca. Antes de mais nada, compartilhe essa leitura com quem você conhece.

E não se esqueça: a Geração Seminovos tem o veículo ideal para você! Por aqui, somos muito cautelosos e nossos processos são extremamente seguros. Venha conversar conosco. Estamos lhe esperando!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply